Frase do dia: "Nunca encontrei uma pessoa tão ignorante que não pudesse ter aprendido algo com sua ignorância." – Galileu Galilei

Posts com tag “sociedade

Certo e Errado


Uma pessoa pode viver uma vida inteira pensando que tudo que faz é certo ou errado. Nascemos, vivemos e morremos sabendo o que é certo e errado. Não desagradar os outros é certo! Não roubar é certo! Matar é errado! Por quê acreditamos nessas coisas, e principalmente por quê seguimos tais regras?

Desde quando nascemos nossos pais mostram o que é certo e errado, colocam todos os dias em nossas cabeças regras e mais regras que ditam nossas vidas muito provavelmente até o dia de nossa morte. Simplesmente acreditamos neles, porque são nossos pais, os consideramos como a verdade absoluta das coisas sem questionar.  Dessa maneira sabemos desde pequenos o que é certo e o que é errado. Mas se aprofundarmos mais nesse pensamento chegaremos a simples questão: “Mas quem falou para as pessoas o que é certo e o que é errado?”.

A resposta para essa questão é:  as leis. As leis ditam o que é certo e o que é errado. Seguimos nossas leis, que foram criadas para manter a ordem e a civilidade entre as pessoas. As leis por sua vez, foram criadas por outras pessoas, que baseados nos ensinamentos cristãos e colocaram em prática criando as leis que conhecemos hoje. Mas quem disse que o que a lei diz é certo?

Elas foram criadas por nosso poder legislativo, que pode criar qualquer tipo de lei, desde que seja aprovada por uma maioria de políticos.  Mas essas leis e regras são o que ELES consideram certo e errado, não seguimos o que consideramos certo e errado, mas sim o que 1 pessoa considera certo ou errado. O individualismo nos é tirado a partir do momento em que nascemos quando tomamos nossos primeiros tapinhas quando fazemos algo que naquele momento parece errado para nossos pais.

Mas a lei não deve ser vista como algo inquestionável. Temos esse poder de questionar, ainda mais quando aqueles que deveriam melhorar nosso país criam leis aumentando seus salários.

Não decidimos o que é certo ou errado, a socidade é quem nos diz, portanto nada é certo nem errado!

Devemos questionar o que é certo e o que é errado. Quando chegar a uma conclusão, a única conclusão certa é que não existe certo e errado. Quando dizemos que algo é certo ou errado é baseado em nossos princípios, e na grande maioria das vezes não se trata de CERTO ou  ERRADO, mas sim de o que nos agrada e o que não agrada. Baseado nisso, punimos nossos filhos, criamos nossas leis, escolhemos nossas crenças, ditamos nossa vida. O conceito de certo e errado talvez tenha sido a pior idéia da humanidade, que ao invés de apenas viver em harmonia, ficou pensando/escrevendo/ditando o que é certo e errado. A partir do momento em que criamos o conceito de certo ou errado criamos religiões, que foram se apoderando do pensamento humano e definindo seus próprios conceitos de certo e errado, e mais tarde de bem e mal, que no fim acaba sendo a mesma coisa, apenas mais uma forma de manipular as massas.Você não deve se vestir como todos se vestem, nem pensar da forma como todos pensam.

Não digo que não devemos mais obedecer a regras e desrespeitar leis, mas que apenas criemos o bom senso de questionar se o que fazemos é certo ou errado, até que chegue o momento em que não haja mais certo ou errado, e tudo que restar seja viver a vida.

“Não digo que você está errado, nem certo, apenas sei que eu estou certo, e nada mais.” – Vinícius Watanabe

Gostou? Entre em nossa comunidade no Orkut e siga-nos no Twitter.


Seres etiquetados


” Em minha calça está grudado um nome que não é meu de batismo ou de cartório, um nome… estranho.

Meu blusão traz lembrete de bebida que jamais pus a boca, nesta vida. Em minha camiseta, a marca de cigarro que não fumo, até hoje não fumei…

…Estou, na moda.

É doce estar na moda, ainda que a moda seja negar minha identidade, trocá-la por mil, açambarcando todas as marcas registradas, todos os logotipos do mercado.

Com que inocência demito-me de ser, eu que antes era e me sabia tão diverso de outros seres diversos e conscientes de sua humana, invencível condição…

…Onde terei jogado fora me gosto e capacidade de escolher, minhas idiossincrasias tão pessoais, tão minhas que no rosto se espelhavam, e cada gesto, cada olhar, cada vinco da roupa resumia uma estética?

Hoje sou costurado, sou tecido, sou gravado de forma universal, saio da estamparia, não de casa, da vitrine me tiram, recolocam, objetivos estáticos, tarifados.

Por me ostentar assim, tão orgulho de ser não eu, mas artigo industrial, peço que meu nome retifiquem.

Já não me convém o título de homem, meu nome novo é coisa.

Eu sou a coisa, coisamente.”

Adaptação do poema de Carlos Drummond de Andrade, O Corpo. Trecho retirado do livro S.E.R, de Cristiane Saad.

“Toda propaganda tem que ser popular e acomodar-se à compreensão do menos inteligente dentre aqueles que pretente atingir.” – Adolf Hitler

Gostou? Entre em nossa comunidade no Orkut e siga-nos no Twitter.


Não está aqui, mas nos destrói


Para você, qual o mal dos tempos modernos? Talvez seja a ganância, as pessoas estão a cada dia mais gananciosas, ou talvez seja superficialidade do ser, para todo lugar que olhamos vemos pessoas completamente superficiais tentando acreditar que são algo que não são, mas ao meu ver, o mal do século é a solidão.

A solidão se alastra cada vez mais em meio às pessoas, a falta de companheiros, colegas e pessoas em quem confiar faz com que a cada segundo que passe nos sentimos mais solitários e sem ninguém. Os mais simples e tímidos preferem ficar na deles pensando e refletindo sobre as coisas que acontecem a sua volta, enquanto as pessoas mais ousadas contratam “acompanhantes de balada” que são pagos para tapar o grande buraco no fundo dessas pessoas.

Acredito que essa solidão no ser humano, essa falta de alguém mesmo que seja para ter uma curta conversa, se deve ao fato de estarmos cada vez mais desconfiados das pessoas que nos rodeiam, e estarmos vivendo num tempo onde tudo se tornou descartável. Assim como muitas vezes bebemos água em copos descartáveis ou comemos em pratos descartáveis, acabamos aplicando esse conceito nas pessoas a nossa volta, nada mais é como teoricamente deveria ser. Chegamos ao ponto de termos amigos descartáveis, namoradas descartáveis, e até mesmo aquele juramento que as pessoas fazem na igreja “prometo te amar e respeitar até que a morte nos separe” tornou-se sem sentido quando observamos certos maridos e esposas descartáveis.

A solidão é o mal que vem destruindo os seres humanos dos tempos atuais, o trabalho e o stress do dia a dia vêm nos consumindo e afastando as pessoas importantes para nós, pois acabamos muitas vezes não tendo tempo nem para cuidar de nós mesmos. E o pior de tudo é que vivemos em um mundo onde estamos constantemente rodeados de pessoas, mas mesmo assim ainda nos sentimos sem ninguém, e acabamos não suportando até mesmo nossa própria presença.

“Solidão é quando o caração, se não está vazio, sobra lugar nele que não acaba mais.” – Antonio Maria

Gostou? Entre em nossa comunidade no Orkut e siga-nos no Twitter.


Adestramento populacional


Com o aumento do valor dos impostos pagos nos dias de hoje, e o real serviço prestado por nossos “coronéis” que governam de forma cada vez mais parasitária neste circo em que vivemos, observamos que para o futuro apenas deixaremos para nossos filhos e netos nosso suor derramado sobre o solo seco de um país quase esgotado.

A educação neste país está cada vez mais precária, e acredito que esse sistema já passou da hora de mudar. Nada aprendemos nas escolas, apenas absorvemos o entendimento de nossos professores que nos injetam aquilo que lhes foi injetado.

Com o passar do tempo, aquela necessidade de questionar foi se perdendo, e o fato de que as pessoas estão ficando cada vez mais desinteressadas e mal informadas faz com que fiquemos com a mente cada vez mais mal formada.

Essas pessoas com o raciocínio crítico mal formado tornam-se facilmente marionetes na mão manipuladora da mídia, que através de nossos televisores nos hipnotizam com suas propagandas tão inteligentes, que nos ilude, fazendo-nos pensar que realmente precisamos de algo que para nós no momento pode proporcionar um pouco mais de ordem e progresso,mas que quando caímos na real, percebemos que apenas enchemos as cuecas de nossos políticos.

As vezes me pergunto: “Por que não é investido tanto dinheiro em educação, quanto deveria ser investido, já que a educação é a base para o bom desenvolvimento do país?”. E é quando me vem a resposta. Embora o futuro do país esteja nas mãos dos jovens de hoje, não investir em educação deixando nossos jovens nessa obesidade mental é uma estratégia política para que não seja ouvido o brado retumbante de um povo que supostamente deveria ser heróico.

“A preguiça é a mãe do progresso. Se o homem não tivesse preguiça de caminhar, não teria inventado a roda.” – Mário Quintana

Gostou? Entre em nossa comunidade no Orkut e siga-nos no Twitter.


Observar é preciso


Um grande mal dos dias de hoje é a ignorância, ou melhor dizendo, é a falta de observação e atenção das pessoas.

Quantas vezes já não nos aconteceu algo que poderíamos ter evitado se simplesmente tivéssemos prestado atenção em certas pistas ou evidências?

Prestando atenção no que fazemos, com quem conversamos, podemos deduzir coisas que muitas vezes podem parecer obvias, mas que por uma desatenção, nós vemos mas não observamos. Por exemplo, você sabe quantos degraus há na escada da sua casa? Quantas canetas há no seu estojo? Onde cada coisa está localizada no seu quarto? Esses podem ser exemplos um pouco bestas, mas fazem parte da observação.

Da próxima vez que você sair e encontrar alguém comece a observar a pessoa, as coisas mais simples geralmente são as mais reveladoras. Sempre observe e questione atentamente, por exemplo, observando o sapato de alguém você percebe que está muito gasto e velho com um pequeno furo na borda, as roupas da pessoa estão antiquadas e um pouco antigas, a cor está desbotada e a barra da calça está um pouco rasgada pelo desgaste que é causado por ficar arrastando no chão. O que se pode concluir é que essa pessoa está passando por problemas financeiros provavelmente, e gasta suas economias mais em comida para sobreviver do que em vestimentas, a barra da calça rasgada de tanto arrastar no chão pode indicar que talvez essa pessoa tenha ganhado a calça e como não lhe serviu, era maior que o seu tamanho por isso arrasta no chão. Mas tudo isso são hipóteses, deve-se sempre analisar tudo, desde a aparência física da pessoa até o ambiente em que você está localizado.

Ou ao encontrar com um colega na casa dele você perceba que metade da camisa dele está molhada e que seu guarda chuva também está o que se pode concluir que provavelmente ele chegou momentos antes de você tocar a campainha da casa dele, ele estivesse em algum lugar que estivesse chovendo e provavelmente estava a pé, e que só metade da camiseta estava molhada, pois dividiu o guarda chuva com alguém.

Finalizando, para se fazer conclusões mais certeiras devem-se sempre observar os sinais (evidências) e sempre questionar o “por que” de tudo, dessa forma você poderá tornar-se um grande observador.

“Você vê, mas não observa.” – Sherlock Holmes

Gostou? Entre em nossa comunidade no Orkut e siga-nos no Twitter.


Sentenciando a pena de morte


Em muitos países a pena de morte é considerada a solução para controlar criminosos que cometem atrocidades contra as pessoas, países esses que possuem o índice de criminalidade muito reduzido em relação aos países como o Brasil que não possuem tal penalidade em sua legislação. Será mesmo certo matar uma pessoa por ela ter cometido ume de assassinato premeditado ou estupro?

A pena de morte já foi abolida em vários países do mundo, mas em países como Estados Unidos, China, Afeganistão e etc., ela ainda é permitida caso o criminoso cometa um crime premeditado, e também é usada para reprimir espionagem, estupro, adultério e corrupção.

Por um lado a pena de morte deveria ser válida no Brasil, pois a violência aqui cresce mais e mais a cada dia, as pessoas não podem mais sair livremente de casa, saem desconfiadas de tudo e de todos e muitas acabam se aprisionando em suas casas com cada vez mais grades e sistemas de segurança, quando o verdadeiro criminoso é quem deveria estar preso. O mundo de hoje não é mais como antigamente quando sentávamos traquilamente na calçada de casa e conversávamos com os visinhos. Atualmente costumamos não sair com tanta frequência de casa, dessa forma criando certa solidão em nossas vidas, e a falta de comunicação faz com que não conheçamos ao menos a pessoa que vive na casa ao lado.

Não se vê discussões com muita frequência sobre esse assunto na mídia, e se saíssem perguntando se é certo matar alguém que comete crimes muito graves a resposta politicamente correta seria: “Isso não é certo, pois somos todos seres humanos e merecemos o direito de viver”. Mas gostaria de ver a mesma pessoa dizer isso após ter uma pessoa com quem se importasse assassinada ou coisa pior.

Por outro lado, não se deve exterminar o criminoso, mas sim as razões que levam esse criminoso a cometer tal crime. Todos são seres humanos, devem ser livres e ter direito à vida.

E você… Acredita que a pena de morte poderia resolver muitos problemas do Brasil? É certo matar alguém que mata outras pessoas? E se a pessoa a ser julgada, por algum engano fosse você? O que você faria?

“Se quiseres poder suportar a vida, fica pronto para aceitar a morte.” – Sigmund Freud

Gostou? Entre em nossa comunidade no Orkut e siga-nos no Twitter.


O que realmente somos ?


Bem x Mal

A todo o momento entramos em conflito com nós mesmos, temos a capacidade tanto de sermos bons como sermos maus, o ser humano tem essa tendência tanto de mentir, machucar, destruir, matar como também tende a fazer o bem, ajudar, compartilhar e até mesmo de criar a vida. Muitos dizem que nós somos maus por natureza, mas será isso mesmo verdade?

Em uma matéria da revista SuperInteressante, mostra que  estudos feitos pelo pesquisador Stanley Milgram na Universidade de Yale comprovam que talvez realmente o ser humano seja ruim por natureza. Eu particularmente acredito que o ser humano realmente possa ser mau por natureza, pense em alguns momentos do seu próprio cotidiano, e você perceberá o quão egoísta é. Verá o quanto fazemos as coisas apenas para obtermos nossa própria felicidade, sem pensarmos nos outros. Mas o que acredito não vem em questão neste momento.

Psicólogos acreditam que a maldade começa em nossa infância, e é causada pela influência das pessoas à nossa volta, aprendemos a ser maus, se vivêssemos em um lugar onde apenas nos ensinassem coisas boas, seriamos bons enquanto não encontrássemos o mal. O ser humano é facilmente influenciado, e nos influenciamos muito mais facilmente por más razões do que por boas. Vemos apenas nossos desejos, nossa felicidade, nossos egos.

Será que somos egoístas por natureza? Matamos por natureza? O que aconteceria se vivêssemos sós? E se fossem apenas ensinadas coisas boas?

“Quanta injustiça e quanta maldade não fazemos por hábito!” – Terêncio

Gostou? Entre em nossa comunidade no Orkut e siga-nos no Twitter.


Sociedade selvagem


Sociedade selvagemViver nos dias de hoje está se tornando uma tarefa cada vez mais difícil. Temos que trabalhar para conseguir nosso sustento, mas para isso é necessário estudar e absorver o maior número de informação for possível para podermos crescer, e ser alguém no futuro. Segundo Charles Darwin,  no mundo sobrevive o mais forte por isso há a evolução, os seres vivos evoluem para continuar vivos. Podemos observar essa teoria em nossa vida cotidiana, e se pararmos para pensar, o mundo em que vivemos é uma grande selva, onde as pessoas lutam para sobreviver, e conseguirem seu sustento.

Vemos todos os dias pessoas brigando por vagas de emprego, ou por melhores cargos no trabalho, e por que não citar o vestibular também, onde os alunos se preparam o ano inteiro para concorrerem a uma vaga no meio a milhões de pessoas. Graças a essas disputas, criamos o sentimento de desconfiança do próximo. Mas isso tem fundamento, pois a todo o momento vemos pessoas que crescem a custa de outras, e se analisarmos bem, grande parte das pessoas que agem de forma errada ou anti-ética, são aquelas que realmente se deram bem na vida.

A algum tempo, a revista SuperInteressante publicou uma matéria falando que crianças que mentem, acabam virando adultos bem sucedidos, e em partes isso é uma verdade por mais cruel que isso pareça.

É mesmo necessário esse tipo de competição entre as pessoas? Será que não podemos mais confiar nas pessoas? Crianças que mentem, realmente viram adultos bem sucedidos?

“O homem é lobo do homem.” – Tomas Hobbez

Comentem.

Gostou? Entre em nossa comunidade no Orkut e siga-nos no Twitter.


O homem é um produto do meio?


Marionete

“É preciso estudar a sociedade pelos homens, e os homens pela sociedade: os que quiserem tratar separadamente da política e da moral nunca entenderão nada de nenhuma das duas”                                  Jean-Jacques Rousseau

Seria a idéia iluminista de Rouseau equivocada?

Através das concepções do filósofo,  o homem é naturalmente bom, sendo a sociabilização a culpada pela “degeneração” do mesmo. Em sua obra, “O Contrato Social”, é possível a constituição de um Estado Ideal, através do consenso entre os indivíduos da sociedade, e em conseqüência desse acordo, haveria a possibilidade de garantir plenamente os direitos de todos os cidadãos, afastando da corrupção, próximo da vontade e da decisão geral.

Particularmente falando, a sociedade é feita de homens, e se o homem nasce bom, como uma reunião de bons pode corromper? O meio corrompe o homem ou o homem que corrompe o meio? Pois, de certo modo, o homem é quem cria sua própria sociedade.

Ou o homem nasce vazio, e a partir de vivenciar com o meio em que vive,  vai gradativamente adquirindo seus valores, seus princípios, absorvendo tudo à sua volta. Porém, se termos consciência, podemos muito bem ser capazes de não nos deixarmos ser influenciados pelos outro. Tentar agir da forma “correta” nos exige, com certeza, um grande esforço.

Afinal, O homem nasce bom mas a sociedade o corrompe ou já nascemos com uma “maldade” natural? O homem influencia a sociedade? Ou é ela quem a nos influencia?

Comente o que você acha a respeito, dê suas teorias.

Obrigado.

Fonte: Wikipedia

Gostou? Entre em nossa comunidade no Orkut e siga-nos no Twitter.


Jogo das máscaras


Máscaras

Ao admitir que cumpre-nos apenas viver conforme a sociedade já bem o definiu, cada qual desempenhando seus papéis sociais como o de marido, esposa, pai, mãe, trabalhador etc, permanecemos presos, impedindo o maior desenvolvimento. Não percebemos que cada papel carrega em si o próprio limite de atuação. Este limite é o referencial a que recorremos para definir as regras de cada atuação social necessária ao melhor convívio.

Cada papel diz respeito a uma máscara usada para encenar o teatro da vida. Agimos de maneira totalmente diferente dependendo de com quem estamos e onde estamos, temos que ser de um jeito para com nosso chefe, colegas, professores, familia, vizinhos e etc. É claro que temos personalidade, mas ela nos leva a vestir essas máscaras para que possamos nos adaptar ao cotidiano, para isso, cada máscara possui uma limitação de se agir, moldando-nos a uma forma de ser. Ocorrem conflitos por causa do desacordo entre tipo de temperamento introvertido ou extrovertido, experiências acumuladas, conceitos formados, e padrões de comportamento sugeridos pela sociedade. Nos casamentos, por exemplo, o psicólogo Carl Rogers (1902-1987) concluiu que Numerosos problemas desenvolvem-se na medida em que tentamos satisfazer as expectativas do outro…, e que não devemos nos afeiçoar pelos desejos, regras e papéis que os outros insistem em impor-nos.

Sabemos que deve-se existir limítes para que haja o convivio adequado, não estou defendendo a abolição de leis e regras, já bem explicadas por pensadores de outros séculos, como Thomas Hobbes (1588-1679), por sua afirmação de que O homem é o lobo do homem, e Voltaire (1694-1778), ao comparar: Para que uma sociedade consiga sobreviver, fazem-se necessárias as leis, assim como as regras para os jogos. A ordem política tem o seu papel na regulação do convívio entre os homens, mas nos revestimos destes papéis ao usar as máscaras sociais e agimos apenas em conformidade a eles. Não nos inquietamos a ponto de refletir sobre se devemos pensar e agir diferentemente do que estamos acostumados. Não ousamos participar mais dos acontecimentos. Um exemplo é a idéia de que política deve ser realizada apenas por político ou quem detém o papel deste setor para lidar com os esses assuntos. Nos enganamos. Podemos e devemos ser mais presentes em assuntos dessa natureza. Já se provou que a opinião popular é importante e tem peso, não só nas eleições, mas na luta pelos direitos democráticos, em processo de impeachment presidencial, referendo, etc. Basta usar a máscara para este tipo de necessidade e exercitar o seu papel.

Muitas vezes nos retraimos, e guardamos nossas opiniões para nós mesmos quando damos de cara com uma idéia que talvez possa no momento parecer melhor que as nossas, ou quando encaramos alguem que julgamos superior a nós, simplesmente obedecemos ou nos queixamos às escondidas sem propor idéias e pontos de vista contrários, que podem, conforme a ocasião e a necessidade, serem surpreendemente melhores.

Por detrás de toda máscara há um ser humano tentando sobreviver em seu meio, buscando a adaptação à sociedade ou grupo ao qual pertence. Portanto, os papéis são importantes. Segue-se, porém, que é relevante a capacidade potencial que todos possuem para desenvolver a criatividade, autonomia e ações pessoal e comunitária. Mas para dinamizá-la, urge reconhecer as múltiplas possibilidades a se desempenhar por meio de novos e essenciais papéis, além dos que já temos.

Há o poder que prende e o que liberta. Podemos crescer em outro papel, libertando-se da idéia prisioneira de limitação. A vida é repleta de oportunidades, mas se não acreditarmos em nossa própria capacidade, nada acontecerá. Escolha uma nova máscara ou melhore o desempenho das que já usa. Aproprie-se do poder que há em cada papel. Máscaras sociais que antes pareciam impossíveis de lhe pertencer estão mais próximas do que você imagina. Com que máscara deseja triunfar?

Fonte: Pensar21.com.br/

“Não importa para onde vamos, não importa onde estamos, nem com quem estamos. O que importa é saber quem somos.” – Vinícius Watanabe

Gostou? Entre em nossa comunidade no Orkut e siga-nos no Twitter.