Frase do dia: "Nunca encontrei uma pessoa tão ignorante que não pudesse ter aprendido algo com sua ignorância." – Galileu Galilei

Iguais perante a nacionalidade, diferentes pelo nascimento



O Brasil é um país considerado sem uma identidade. Não se tem um sentimento nacionalista, somente em carnavais e copas do mundo, infelizmente. Porém, ainda está para criar uma para si mesma, deixar de ser sombra de sua metrópole.

Por  ser exatamente uma “mistura” de muitos povos vivendo nesse território tão extenso que é o Brasil, tem-se a impressão de que não há como ter discriminação racial, discriminação da origem de cada um.

Porém, conhecendo um pouco dessa terra que um dia poderá se destacar entre os grandes, sabe-se que da questão da discriminação, e de outras questões, o brasileiro ainda precisa melhorar muito.


De que adianta não ser constante como acontece com países como o Estados Unidos, que faz demarcações evidentes de bairros por etnia (bairros chineses, mexicanos, etc.), mas se existe no Brasil insultos, piadas, brincadeiras, assassinatos, por simplesmente não aceitar que o outro nasceu diferente de você!

Quantas vezes se encontra pessoas que dizem não ter preconceito de nenhuma etnia, mas estranham, e até mesmo proíbem se o filho se casar com uma pessoa de etnia diferente dos pais,  que mude de calçada ou o ritmo do passo quando está para encontrar alguém diferente, ou simplesmente dê risada de piadas sobre etnias diferentes.

O brasileiro precisa pensar que é fácil falar que não é preconceituoso, mas interagir, tratar igualmente cada indivíduo é muito difícil.

Uma das piores situações sobre o preconceito é quando é preciso aceitar a si mesmo, aceitar sua origem. Uma pessoa não nasce com medo de si mesma, a sociedade molda ela para que pense dessa forma, que realmente acredite que é inferior.

Filmes, novelas, seriados brasileiros, escolhem atores pela preferência do público. E essa preferência está ficando, infelizmente, normal. Parece que cada personagem tem um perfil próprio, é determinado que o afro-descendente deve ser de classe baixa, e se representam outra classe social, até se estranha o fato.

Um dos piores exemplos de discriminação para os jovens, é o sistema de cotas, determinando que o afro-descendente necessita de ajuda para poder ingressar em uma boa faculdade. Uma explicação por essa atitude, é pela própria história brasileira. Até concordo que a história do Brasil é muito recente, e com isso não podem ter condições educacionais para poder competir uma “batalha” que é o vestibular. Porém, não seria melhor resolver pela raiz do problema? Ao invés de dar chances, por que não investir em escolas pública que há anos atrás tinha um bom ensino? Talvez dar chances fica melhor para o bolso dos nossos governantes do que melhorar o ensino.

Somos brasileiros, mas será que não podemos ser um pouco mais brasileiros?

YouTube – Martin Luther King – I Have A Dream (Eu Tenho Um Sonho)

Gostou? Entre em nossa comunidade no Orkutsiga-nos no Twitter.

Anúncios

Uma resposta

  1. Realmente aqui era pra ser uma terra sem preconceitos, e infelizmente existe muito preconceito nesse nosso país.

    31 de março de 2011 às 10:59

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s